quinta-feira, 16 de março de 2017

Aprendendo com Jesus - As bodas em Caná da Galileia

    ¹ Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galileia, achando-se ali a mãe de Jesus. ² Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento. ³ Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho. Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser. Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. Jesus lhes disse: Enchei de agua as talhas. E eles as encheram totalmente. Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram. Tendo o mestre-sala provado a agua transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a agua), chamou o noivo ¹⁰ e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora. ¹¹ Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galileia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele. ¹² Depois disto, desceu ele para Cafarnaum, com sua mãe e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias.

                                        João 2:1-13

    Em determinados momentos observamos coisas aparentemente necessárias se acabarem. Tentamos repô-las do nosso jeito e com a maior velocidade possível, no entanto, o Senhor não trabalha assim. Nessa passagem bíblica que lemos pudemos enxergar o que Jesus fez naquela festa de casamento e, por isso, quero compartilhar com vocês a importância de pedirmos para que Jesus nos ajude a confiar ainda mais Nele.

    Primeiramente, o texto nos diz que Jesus não foi sozinho a esse casamento; levou com ele sua mãe, Maria, e seus discípulos. Creio eu que o tempo tenha passado, as comemorações estenderam-se e, enfim, chegou o momento em que o vinho acabou. Maria, em uma intenção plausível foi até Jesus e disse-lhe que o vinho havia acabado (não vejo Maria como alguém inconveniente/inoportuna pois ela dirigiu-se a pessoa certa), entretanto, Jesus tinha propósitos para o lugar e para aquelas pessoas e tal objetivo era manifestar sua glória. Então, sincero e direto, ele respondeu: “Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora”.

    Maria entendeu o recado e, então, foi aos serventes e disse-lhes que fizessem tudo o que Jesus dissesse. No tempo certo, o Mestre falou que enchessem as talhas de agua e eles obedeceram enchendo-as totalmente e, logo após o feito, levaram-nas. Ao chegar o momento em que o mestre-sala provou do que Jesus havia feito mandou chamar o noivo ― o que você pensaria se estivesse naquele momento ao lado de todas aquelas pessoas? ―. Bom, ao apresentar ao noivo seus comentários, o mestre-sala relatou o que as pessoas comuns faziam naquele tempo. Por exemplo, como ele explanou, as pessoas serviam os convidados com o bom vinho mas, ao final, davam-lhes do que não era deleitoso. No entanto, foi declarado que aquele era delicioso, bom; estava guardado até aquela ocasião.

    Ao final do texto bíblico, constatamos que este foi o primeiro milagre de Jesus, transformar agua em vinho, e que seu nome foi glorificado após aquele acontecimento; sua glória foi manifesta. Quero dar alguns exemplos que encaixam-se perfeitamente ao nosso cotidiano. ― Maria, para mim, representa muitos de nós, porém, ela soube atentar-se a resposta de Jesus e reconhecer que tudo é no tempo dele. Ela destinou-se a pessoa certa, contudo, o tempo não era dela. À certas alturas da vida em que corremos para Deus e mostramos a Ele o que sentimos e precisamos, no entanto, não sabemos esperar e reconhecer que tudo tem a hora certa, um propósito em meio às circunstâncias. Maria entendeu.

    Ao chegar o tempo definido, Jesus começou a trabalhar, porém, vimos a qualidade do vinho apenas quando o mestre-sala provou e relatou. - Já contei para vocês, mas vale a pena dizer-lhes novamente, que o pastor da Igreja em que congrego costuma falar que Jesus não trabalha da forma como pensamos e imaginamos, Ele age na contramão de tudo e de todos. Ele tem a sua hora, o seu jeito. Esquecemos de que o Senhor trabalha no silêncio. O apóstolo Paulo, escrevendo à Igreja de Filipos, diz que não devemos andar ansiosos por coisa alguma; em tudo devemos fazer conhecidas diante de Deus as nossas petições pela súplica e oração e com ações de graças (Filipenses 4:6). Precisamos pedir que Jesus aumente nossa confiança Nele pois, como sempre digo, creio que que todos os sentimentos bons que existem em nós são dados por Ele; por nossas próprias forças não conseguiríamos melhorar.

    Ao final, repito, tudo mostrou a glória de Cristo, a sua majestade e poder. Creio que o Senhor tem propósitos, aprenda a conversar com Ele e mostrar seus sentimentos de forma clara e sincera. Ele tem um tempo diferente do nosso, algo que não sabemos explicar pois a mente Dele é insondável. “Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro?” (Romanos 11:34).

    Deus te abençoe.
    Jesus te ama!