domingo, 23 de abril de 2017

Resenha: "As aventuras de Sherlock Holmes", de Arthur Conan Doyle.



                Olá, leitores de plantão!
                Amores, prometi que traria a resenha do livro “As aventuras de Sherlock Holmes”, de Arthur Conan Doyle, e eis-me aqui para cumprir a promessa. – Bom, adianto-lhes que foi uma das obras inglesas que mais me cativou e despertou meu instinto literário a experimentar novos títulos sobre esse detetive tão inteligente que é Sherlock Holmes.
                A Zahar caprichou na edição desse livro e fez com que diversos contos de Arthur estivessem reunidos em uma edição com capa dura e em um tamanho prático e excelente para carregar dentro de nossas bolsas pequenas no dia a dia. – Muitas pessoas conhecem
as histórias vivenciadas pelo personagem citado anteriormente, no entanto, a maioria apenas ouviu falar ou acompanhou um dos filmes lançados a esse respeito. Porém, esse é um ótimo exemplar para se adquirir e dar início a uma viagem surpreendente no mundo de mistérios do detetive inglês.
                Casos de Sherlock Holmes expostos no livro:
 - Escândalo na Boêmia;
- Um caso de identidade;
- As cinco sementes de laranja;
- O carbúnculo azul;
- O polegar do engenheiro;
- O diadema de berilos;
- As faias acobreadas;
- O mistério do vale Boscombe;
- O homem da boca torta;
- A liga dos cabeças vermelhas;
- O nobre solteirão;
- A banda malhada.
                Dentre os doze casos publicados nesta edição, apaixonei-me por seis deles: “Escândalo da Boêmia”, “Um caso de identidade”, “O homem da boca torta”, “O carbúnculo azul”, “O nobre solteirão”, e o “Diadema de berilos”. Fazendo agora a escolha do meu preferido, digo-lhes com certa dúvida, que afirmo ser “O carbúnculo azul”. Como não posso dar spoilers, adianto apenas que se trata do roubo de uma das joias mais valiosas da condessa de Morcar onde o caso já começa com um suspeito sendo preso. Sherlock Holmes, com sua inteligência e disposição para solucionar mistérios, corre atrás de vestígios para resolver um caso que para muitos poderia se dar como encerrado.
              
 NOTA: 10